Sou criança sim, e daí?


Tenho dentro de mim algumas características marcantes que posso me descrever. Sou decidida, corajosa, adoro conversar, às vezes sou franca demais e falo o que não devo, tenho um tom de voz meio altivo demais quando quero muito alguma coisa, mas geralmente gosto de ser simpática e agradável com qualquer pessoa que seja. Porém, uma das coisas mais marcantes na minha personalidade, poucas pessoas conhecem. Na verdade acho que só meus pais, meus irmãos, meu cunhado e meu marido: eu sou uma verdadeira criança.

Talvez alguém que tenha certa proximidade comigo já notou alguma vez uma atitude meio bizarra da minha parte em relação a esse meu traço infantil. O fato de eu comentar que comprei um pequeno pônei da coleção nova, ou quando eu faço uma descrição empolgada de alguma coisa, fico dando  sons para as coisas.

Por exemplo, para mim o avião não simplesmente passa, eu tenho que dizer:  “E aí, o avião ‘vummmmmmmmm’ passou”  ou “e a tampa ‘pleeeeeeeeeeeeeenc’ caiu no chão aquele dia”. Meu cunhado sempre ri de mim quando destampo a usar sons descritivos, ele diz que parece que eu estou num filme e preciso colocar a trilha sonora o tempo todo em tudo que descrevo.

Mas além disso, eu sou uma pessoa que gosta de admirar detalhes, principalmente se eles forem coisas coloridas ou brilhantes. Pareço criança, boquiaberta, quando vejo algo luminoso na rua. Todo dia, quando eu volto para casa, eu passo em frente à torre da Band. Todo dia, sem falta, eu PRECISO falar da torre  com meu marido: “Você viuuuuuuuuuuuu, hoje ela está rosa!!! Se der a hora cheia vamos ver as luzes piscando.” E ele responde sem vontade:  ” já faz um ano que ela está aí…”

E acabo passando essa “infantilidade” para meu jeito de encarar a vida. Então, toda festa que eu tenho, é um grande, acontecimento, eu posso me animar, imaginar como vai ser, me preparar, pois curtir algo não é só estar ali naquele momento, mas também criar expectativa, a ansiedade quando é para algo bom, também nos dá ânimo. E se viajo, a mesma coisa… posso estar indo pela terceira vez para o mesmo lugar, mas sempre acho que dá para conhecer coisas novas, experimentar mais, ver mais, se divertir com detalhes bobos, ver qual é o menu ou os filmes que passam naquele vôo pelo site da cia aérea, fazer a mala imaginando aonde estarei com cada peça de roupa que guardo, olhar em blogs e sites dicas e mais dicas do que fazer. É uma animação boa, que me faz olhar por muitos dias as coisas com positividade, então que mal tem, em ser um pouco criança?

Muita gente passa o dia reclamando do que tem, quando às vezes tem muito mais do que eu. Hoje mesmo uma amiga postou no Facebook: “Ei você, que só fica se lamentando em redes sociais: Você já parou para agradecer a Deus por ‘sofrer” de amor, e não de fome?”. E é assim que levo a vida, prefiro ser otimista, positiva com o que tenho, mesmo que isso possa ser ingênuo ou infantil. Sei que o mundo tem muita coisa ruim, triste, que minha vida está longe de ser perfeita, que há muito a ser conquistado e vencido, as batalhas diárias são muitas, mas… por que não viver a vida com os olhos de uma criança? Onde ainda há sempre esperança no futuro, sorrir por sorrir, achar coisas fofas e se alegrar por isso, abraçar meus bichinhos de estimação, tirar mil fotos de tudo colorido que encontro pela rua. Por que não?

Preciso continuar sendo uma criança, mantendo meu coração aquecido por achar que as coisas ruins sempre vão passar, que ainda falta muito tempo para ser adulto e me preocupar…

***

Algumas das minhas infantilidades registradas pelo celular:

Algodão doce no Eid (era para as crianças, ou seja, eu!)

A torre colorida

Melhor vitrine que já vi!

Achando brinquedos antigos na casa da vovó (pena que agora, adulta, eu sempre destruo as coisas que ficaram 20 anos guardadas ahaha)

About these ads

Publicado em maio 31, 2012, em De tudo um pouco... e marcado como , . Adicione o link aos favoritos. 10 Comentários.

  1. Esta é a Marina! Minha filha tão querida. Fico feliz. O que ela chamou de ser criança, está longe de infantilidade. Longe dela ser infantil. Ela cresceu muito e amadureceu. Mas não matou seu lado criança que é da naturalidade, da sensibilidade e da esperança do novo. Que bom que é mais forte que as dificuldades da vida e que só assim pode ser um ser humano maravilhoso que é. Beijinhos e te amo.

  2. Marina… bom seria se todos neste maravilhoso planeta fossem como você e que todas pessoas parassem de julgar uns aos outros e julgassem a si mesmas como voce consegue fazer de si própria, é uma boa análise e não necessitariam tanto de psicólogos. Eu adoro tuas postagens e rio muiiiiiitoo pois adoro rir e btw, eu além de fazer sons faço gestos hahahaha pior que italianos em uma feira. Tenho uma visão 360º de tão curiosa que sou… não perco nada. Seria bom se tivessemos um espirito de criança té o fim da vida, não infantil mas de criança mesmo, vendo tudo colorido, maravilhoso e deslumbrante.

  3. Você é muito fofa, Ma!! Adorei a parte dos preparativos para viagens, também sou como vc!! Pena que nem todas as pessoas curtem da mesma forma, né? bjs

  4. olha que eu tb tenho um lado criança, adoro alguns personagens infantis, como o Pequeno Princípe, a Mafalda, o Snoop, a turma da Monica, Charle Brown, etc etc…… e tenho bem mais idade que vc, não sei se ter essa ladinho infantil é bom ou ruim.

  5. Mari,vc tá é certa!
    As melhores coisas da vida são as mais simples! :D

  6. TER ESSA VISÃO É SER FELIZ.
    ISTO É FELICIDADE, DEUS ESTA NAS COISAS MAIS SIMPLES.

  7. Gostei muito de sua postagem, sou quase parecida também, gosto de coisas simples mas que chama a minha atenção, acredito que a felicidade está nas pequenas coisa que a vida nós mostra, continue assim, obgado por compartilhar sua felicidade, abraçooooo.

  8. Essa ‘mania’ de contar fatos fazendo a sonoplastia eu tb tenho – kkkk, o povo se diverte mesmo.
    E vou te dizer, ajuda no meu trabalho voluntário de contação de histórias (se um dia vc tiver vontade de fazer voluntariado e não souber o que fazer, experimente ;) )

  9. meu marido se acaba de rir também com meu jeito de descrever as coisas, os sons..ele sempre pergunta..”como é que o carro fez? faz de novo! kkk” e a torre também sempre parece um fato novo..cada hora uma cor e meu marido fala..”ontem ela estava do mesmo jeito..ela sempre esteve assim colorida..kk” . Adorei a frase que sua amiga colocou no face.
    Acho que seria muito chato não ter o nosso lado criança!!
    bjs

Deixe um comentário e vamos interagir!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 403 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: