Aborto de bebês anencéfalos


Hoje o STF está  julgando se será permitido – sem necessidade de ação judicial – que mães de bebês anencéfalos (sem cérebro) possam fazer aborto. Eu não posso me colocar na pele de ninguém, eu não estou na posição de julgar ninguém. Acredito que o governo deixará, nesse caso, nas mãos da mãe a decisão.

Ao mesmo tempo, não posso deixar de compartilhar a minha visão sobre esse tema. Repito: a MINHA visão. Para mim, bebês não são fetos. Feto, para mim, é um termo usado na medicina e por pessoas que tentam amenizar a questão da vida. Desculpa, mas se algo que, se for deixado quieto, vira uma criança que pode ser eu, ou você, para mim já é vida e não há nada que derrube esta tese.

Tá, e se seu bebê for considerado ‘incompatível com a vida’?  Para mim, este é outro termo criado para amenizar a consciência alheia. Seu bebê pode estar deformado, pode não ter nem cérebro. Mas é uma vida, ele está vivo! Ele poderá não falar, não andar… isso é justificativa para ser morto?  Só posso dizer, que qualquer comentário sem viver esta questão na pele, é muito leviano. Ao mesmo tempo que, permitir indiscriminadamente abortos, também é leviano. Afinal, alguém confia que todo parecer médico será realmente verdadeiro após a decisão do STF? Sim, não posso querer mandar ou desmandar na vida de alguém, mas se nosso estado condena o assassinato, infanticídio, porque o bebê que ainda está para nascer, pode ser descartado? Para mim isso não tem coerência alguma!

Mas, se todo esse bla bla bla te deixou cansado e com preguiça de pensar nisso, só peço que leia esta história (LEIA MESMO!!!!) abaixo e pensa se não vale a pena só refletir antes de descartar um ser humano ( O link é deste site http://anencefalia.com.br/ , às vezes ele dá problema mas é só ir dando refresh):

/Meu anjo Miguel!

Oi, meu nome é Karine tenho 21 anos, meu marido é o Thiago tem 24 anos, somos casados a dois anos e meio.
No dia 15 de janeiro deste ano descobri que estava grávida, nosso primeiro bebe, o Thiago estava inexplicavelmente feliz, e eu também estava contentíssima.
Começamos a reformar nosso apartamento estávamos empolgadissimos, minha sogra começou a comprar algumas roupinhas e fraudas mesmo sem saber se era menino ou menina… Era um bebe muuuitoo esperado!
No dia 16 de abril fiz uma ultra-sonografia, meu obstetra disse
“parabéns é um menino, mas eu não estou conseguindo medir a cabecinha, porque está muito encaixado, mas não se preocupe não é nada serio”. Então ele me pediu para fazer um morfológico, não me pediu urgência, nem disse que era importante.
Era um meninão… Mais que depressa compramos o carrinho, fomos ver os moveis, compramos, ganhamos roupinhas azuis, começamos ver as coisinhas…mas agora já sabíamos que cor comprar.
Fomos no dia 27 de abril fazer um morfológico, o Thiago e eu, então o medico nos olhou como quem não tem algo bom a dizer; o Thiago e eu já havíamos conversado que se algum dia tivéssemos um filho com “defeito'” ou alguma síndrome nós o amaríamos da mesma maneira; então quando percebemos que algo estava acontecendo eu e ele ficamos desesperados perguntei o que estava acontecendo, ele me disse que tinha um problema de má formação. A minha pergunta era: “ele vai viver?”, era isso que eu queria saber, pra mim não importava como ele viesse, eu queria saber se ele viveria esta era minha pergunta. Então ele nos disse, “não”, a anencefalia é incompatível com a vida, seu bebe tem 0% de chances de sobreviver. Ele não vai viver!
Eu entrei em desespero era como se tivessem me jogando num poço fundo, um poço sem fim, um poço que não ia ter fundo… E eu caía, caía, caía… Sem fundo! O medico saiu da sala, eu fiquei lá deitada ouvindo o Thiago chorar por alguns minutos, acho que foi uns três minutos, mas na hora parecia uma eternidade. Então eu me levantei, fui até o banheiro ao lado e falei com Deus: “Senhor, obrigada por tudo o que eu tenho, perdoe meus erros minhas falhas, e me de forças para passar tudo o que eu tenho que passar!”, essas foram minhas únicas palavras para Deus, eu não pedi um milagre, mas força, porque eu sabia que não seria fácil. O medico me disse que o melhor era que eu interrompesse a gestação, assim poderia tentar mais rápido ter filhos saudáveis, disse que não era nada com agente, e que os próximos seriam perfeitos. Ele ligou para meu obstetra, fui até lá no consultório dele, eu esperei 02 horas e meia para ser atendida, quando entrei na sala dele ele me falou assim: “é… não temos boas noticias não é? Seu bebe tem anencefalia, ele não vai viver, essas coisas acontecem, eu mesmo já perdi dois filhos, não assim com aborto, mas perdi o melhor a fazer é interromper a gestação, eu mesmo faço o aborto, você precisa procurar um advogado, pedir uma autorização judicial, e trazer para mim”… Foi falando e levantando, pois estava com muita pressa. Ele foi horrível, eu não sabia o que era não sabia ao certo o que estava acontecendo, e ate onde tinham me dito meu bebe não viveria.
Cheguei em casa, no mesmo dia desci no apartamento do vizinho de baixo, ele é advogado, expliquei o que estava acontecendo e pedi para que ele visse todo o procedimento para a interrupção da gravidez, pois assim os médicos disseram para fazer, e me parecia a solução mais obvia e fácil, quanto antes tirar
melhor. No outro dia de manha fui trabalhar, entrei na internet para pesquisar mais o caso, o que era, encontrei um site que falava sobre anencefalia, lá tinha a estória da Anouk, da Giaovana, e de outros bebes explicava realmente sobre anencefalia, o que era como ia acontecer, e que eu podia também prosseguir com a gestação, na estória da Giovana tinha o link de um site http://www.anencefalia.com.br eu cliquei entrei, e descobri outras mães também, li a historia da Mônica e do Marcelo.
Imprimi tudo levei para meu marido ver, então decidimos seguir em frente com a gravidez, e ama-lo no tempinho que ele ia passar na minha barriga, e naquela noite escolhemos o nome para nosso anjo MIGUEL (quem como Deus?), Quem como Deus? Existe significado tão poderoso? Deus incomparável! Alem de ser um anjo mensageiro, um anjo que veio trazer mensagens lindas para todos nós.
Procurei outro medico para prosseguir minha gestação, não queria que o Miguel nascesse nas mãos de um cavalo como aquele medico. Fui falar com um especialista, foi muito atencioso apesar de eu acreditar que ele não era muito a favor da minha decisão, ele me indiciou outro médico que também quis me induzir ao aborto, ele disse que meu bebe já estava condenado, e que eu poderia correr risco de vida (da pra acreditar?).
Procurei na minha lista de convenio comecei a ligar para encontra um medico que fosse comigo até o fim. Encontrei a Dra. Karen Morelli, um anjo que me acompanhou ate o parto, com muito carinho, ela cuidou de mim e do Miguel, foi ótima e gentil, muito carinhosa.
Nenhuma de nós mães, podemos dizer que foi fácil… Mas algumas de nós podemos dizer que foi lindo!
Foi lindo ter o meu Miguel comigo no tempo que ele ficou.
À noite antes de dormir eu cantava para ele, eu lia a bíblia em voz alta, o Thiago conversava com ele. De manha, eu me virava para o lado do Thiago, colocava minha barriga nas costas dele, e ele chutava o papai. Toda manhã.
Eu contava para todo mundo que o Miguel era especial, queria mostrar como o meu Deus era forte, come ele não tinha me abandonado. Eu sabia que tinha que falar, sabia que cada um através da minha estória aprenderia algo, eu queria ser um exemplo, não queria despertar pena nas pessoas, queria despertar vontade de lutar, de agradecer a vida, a vontade de viver. Então comecei o clamar a Deus, comecei a orar, a buscar a face do Senhor. Eu cri no deus do impossível, e sabia que ele poderia fazer, sei que ele pode. Eu tinha a certeza do milagre, continuei fazendo as coisas dele, eu pintei o quartinho, o Thiago queria fazer nuvenzinhas no teto montamos o bercinho.
Eu resolvi fazer um chá de bebe, minhas primas organizaram, foi lindo, chamei uma pastora, ela disse palavras lindas de fé. E naquele dia eu disse coisas lindas que estavam no meu coração. Disse que não importava o que aconteceria, eu iria crer, eu pedi muita fé pra Deus, fé para acreditar no milagre, não foi fácil acreditar, é muito difícil ter fé, ainda mais quando todos os ultasons mostram seu bebe com a metade da cabeça.
Não me importava com o futuro, queria viver o agora com meu filho, assim como Zaquel, eu queria subir o mais alto da montanha para chamar atenção de Deus. E sei que ele me ouviu, por algum propósito que eu não conheço, ele não pode curar o Miguel, mas eu ainda creio, sei que se clamarmos ele nos ouve, e se for possível ele atende. Eu sei que não é Deus que fez isso… Porque Deus não tem doença no céu, lá só existe perfeição, a doença é aqui da terra.
Eu vivi momentos lindos com ele na minha barriga, eu o amei muito, muito mesmo. Ele me fez sorrir, e quem me via, via o amor de Deus em mim.
Foi um amor lindo e indescritível, as pessoas se apaixonaram pelo Miguel. Isso me fazia sentir-me forte.
Ele nasceu no dia 01 de
setembro de 2009 ás 13h30min da tarde.
Quando ele nasceu, me trouxeram ele, já com a toquinha, ele era lindo grande rosado… Lindo demais. Perguntei se podia dar um beijo no pezinho dele, eu beijei e cheirei… Ai que cheiro bom!
Na sala de recuperação não via a hora de vê-lo, fui a ultima a chegar e a primeira a sair de lá, mal sentia meus pés e já dizia que estava boa… Enchi o saco das enfermeiras até voltar para o quarto, o Thiago veio me ver, disse que estava com o Miguel, “ele é lindo, é o neném mais lindo do mundo” ele assistiu o parto ficou muito emocionado. Até a enfermeira saiu do quarto, não de medo ou susto mais de emoção, ela saiu para chorar. Foi muito emocionante e lindo.
Quando o vi chorei muito, mas não sabia por quê. Pois eu estava muito feliz de vê-lo, e muito triste por saber que ele iria partir. Não sabia quanto tempo, horas talvez.
Conversei com ele. Pedi para deixarem tirar fotos, não deixaram, de madrugada fui vê-lo novamente, ele estava lá lindo, peguei ele no colo, chorava muito não conseguia me conter, era uma sensação inexplicável, sentia uma sensação de paz e orgulho de mim mesma, no outro dia de manha fui novamente vê-lo peguei no colo e mais uma vez implorei para que deixassem tirar foto dele. Assim algumas enfermeiras me ajudaram, fechamos a cortina e nos divertimos tirando foto do Miguelzinho, eu pegava, o Thiago pegava, cheirei tanto ele…tinha um cheirinho tão bom.
Ele sorria para nos, e fazia uns sons gostosos coma boca… De ahhhh… Era lindo cheiroso gostoso, e estava ali no meu colo, não numa lata de lixo ou num pote de experiência, a sensação de paz é maravilhosa. Cheirei muito ele. Beijei muito ele.
Eu fiz isso, eu não abortei isso… Eu me dei essa chance, eu me dei este privilegio, eu aproveitei o que a situação podia me dar de bom. Eu não tive somente perdas, eu ganhei momentos, que nem as fotos podem mostrar. Eu passei a mão sobre o corpinho dele, e senti a mãozinha dele fechar entre meus dedos. Eu vi uma alegria no rosto do Thiago, e esta alegria fui eu que permiti. O Thiago foi um pai incrível, companheiro, presente, ele pegava o Miguel, beijava, nos demos todo o amor do mundo, e isso me faz sentir alguém muito especial…
Eu ficava olhando para ele, e era uma mistura de sensação. Eu conversava com as mães que tinham ganhado bebe… Eu estava muito forte… Eu fui muito forte.
Dia 02 de setembro ás 19h30min ele partiu, foi para os braços de Deus. Não foi fácil, não é mesmo… Mas foi o amor mais lindo de ser vivido, inabalável.
Diz o senhor: “no mundo tereis aflição, mas eu sou contigo”. Não é lindo este versículo.
Nós passamos pelo vale da sombra da morte, mas não temi mal algum, porque o meu Deus me carregou no colo.
E os médicos estavam errados, porque ele viveu! Ele viveu 01 dia e 06 horas, era o tempo que ele precisava para viver… Agradeço você Mônica por este espaço cedido para contar sobre minha estória, mas mesmo com tantas palavras ditas, ainda faltariam muitos espaços para preencher, para contar toda a alegria que vivemos com nosso Miguel, são detalhes intermináveis, momentos indescritíveis… Uma mãe que aborta o seu bebe nunca terá isso.
Dia 03 de setembro foi o seu enterro, não pude avisar muitas pessoas, não tive tempo para isso, também não poderia fazer um velório longo… Foi apenas 01hora de velório… Mas tinham mais de cem pessoas lá. Percebi naquele momento quantas vidas o Miguel tinha tocado, quantas lições nos ensinado.
O Thiago carregou seu caixãozinho no colo até onde ele seria enterrado, e tenho certeza que ele sente muito orgulho disse, porque ele foi o pai do Miguel, o melhor pai que ele poderia ter que não o abandonou, mas sim o carregou até o fim, até o fim do fim.
Eu me entristeci muito por ter o visto partir, mas me alegrei muito com a sua passagem na minha vida, no velório dele enquanto eu estava sentada olhando pra ele, com aquela multidão de pessoas ao meu redor, eu senti num momento vontade de sorrir. Acho que isso se chama paz!!! Paz!…Sabe? Aquela sensação de ter feito a coisa certa?
O Miguel sorria pra mim, nunca vou me esquecer disso, jamais. Não é verdade que a nossa decisão é menos dolorosa. Acredito que a dor que sentimos é igual a de que interrompe a sua gestação.nós sofremos muito também, isso é inegável, mas, por outro lado, nós descobrimos que podemos ter a parte boa de tudo isso, podemos nos sentir mães incríveis, podemos nos sentir maravilhosamente leves por dentro.e como diz minha amiga Mônica a diferença é que nossa dor virou saudade!
E quem não tem saudade de algo bom?
Eu sei…eu sei…tenho que encerrar esta carta.rsrsrs
Mas as mães que quiserem falar sobre algo que não escrevi aqui, ou só quiserem conversar, podem entrar no meu orkut: karine mãe do Miguel
http://www.orkut.com.br/Main#Profile?rl=fpp&uid=4416626200351294547
Estou pronta para conversar com vocês. Assim como mães me acompanharam, em especial uma mãezinha maravilhosa… Karina… Obrigada Karina, mesmo com toda dor que eu sei que você sentiu com a perca da Mila, e mesmo sofrendo com a saudade me acompanhou até o fim.Pra mim você também é uma heroína.
E hoje, hoje eu experimentei o maior amor do mundo.
Hoje eu sou a mãe do Miguel!
Quando eu for para o céu ele vai estar lá para me receber.
Beijos.
Karine e Thiago

 

About these ads

Publicado em abril 11, 2012, em No Brasil e marcado como . Adicione o link aos favoritos. 35 Comentários.

  1. simonebarbariz

    Eu sou totalmente a favor de aborto no caso de anencefalia.

    Nem todas pensam como a pessoa do relato acima e é postergar a dor.

    Alguns anencéfalos morrem ainda no ventre materno e se não for detectado de imediato,põe em risco a vida da gestante; outros possuem outras má formações q podem SIM afetar a saúde da gestante, no q é conhecido como “espelho”: a doença do feto é refletida na mãe – ela foi ignorante em dizer q não acreditava q sua vida poderia estar em risco.

    Mas é como vc disse, Marina, cada qual sabe onde a dor aperta e é justamente para respeitar a dor das q não querem passar por isso é q o STF deve aprovar tal lei.

  2. Oi Marina, foi bom ler a sua opiniao e o relato. Mas eu sou a favor da escolha antes de tudo. Nem sempre a pessoa tem o equilibrio emocional e espiritual para levar em diante uma gravidez assim. Nao sou a favor de forcarem o aborto em casos de risco para a mae e para o bebe, mas tambem nao acho justo forcar uma mulher ter um filho dessa forma. Sei de varias mulheres com gravidezes de risco que abortaram ate sem a decisao judicial, tem varios medicos que fazem sem se preocuparem com a lei. Todos os que conheco (medicos e mulheres que abortaram) sao de classe alta com possibilidade de irem aos EUA por exemplo, fazerem o aborto la. Acho que a lei vai igualar esta possibilidade para pessoas de outras classes sociais. Infelizmente no Brasil as leis ainda sao feitas para os pobres. A propria mae no relato disse que varios medicos a aconselharam a abortar e nem continuaram o atendimento. Esta falta e desprezo dos medicos ja nao pode ser considerada um aborto? Mas volto a repetir: acho que e a escolha da familia que deve ser respeitada seja qual for.

  3. Uma mãe que faz o pré natal corretamente saberá se seu filho está ou não morto e assim poderá tomar as prvidências cabíveis. O que não podemos agora é tentar brincar de Deus e achar que somos donos da vida e da morte. Temos em nosso dicionário uma palavra para isto: ortotanásia. Significa morte natural. Aliás, fugindo do assunto… É bom refletirmos sobre isto. A morte é um processo que todos nós passamos e se a enxergarmos como natural. Mais traquilos ou em paz poderemos ficar. Claro que a morte tras dor, mas traz ensinamentos, reconciliação, perdão, superação, força e um monte de sentimentos bons também. Quando minha avó foi diagnósticada com um tumor que daria a ela 3 meses de vida (achava isto coisa de filme), o medico de Barretos depois de um procedimento clinico para melhorar sua vida nos disse: O que ela precisa agora é qualidade de vida. Perguntei a ele: Mas o que é qualidade de vida (pensei como seria, porque ela ia morrer a cada dia e não conseguiria nem comer)? Ele me respondeu: Qualidade de vida é estar em família. É estar junto, em casa. Se vocês não tiverem condição, aqui em Barretos tem casas para pacientes como sua avó que serão tratados com cuidado. Bem, levamos ela embora e menos de um mês depois ela tinha morrido. Quero dizer que foram momento mágicos na família, de perfeita união, de amor incondicional. Ela morreu sem dor. Minha avó não tinha noção do que estava acontecendo e dizia em seus melhores ultimos dias: Não sei o que aconteceu, ontem estava tão boa, hoje estou meio indisposta, mas amanhã estarei melhor. É a esperança humana.
    Volto ao aborto de qualquer especie: Estamos tirando a chance desta criança viver. Estamos tirando a chance de superarmos qualquer barreira e fragilidade que temos. Deus é dono da nossa vida. Façamos dela cada momento único. Não importa como. Vivemos num mundo descartável. Mas o ser humano não é objeto. Não podemos permitir que nos deixem seduzir por esta balela de somos descartáveis. Sem conhecer, sei que o Miguel foi fundamental na vida deste casal, porque sua história foi fundamental para mim que simplesmente a li.
    Cuidado crianças, a gente pode brincar de casinha, mas não podemos brincar de Deus que é amor, que é vida.

  4. Ia me esquecendo…está lindo o design de seu blog!!!!

  5. Luciana Carneiro Aguera

    A questão de direito aqui não é pensar se daqui pra frente pode-se, ou não, burlar a lei e comprar exames e laudos falsos, como você mesma levantou. Concordo com a Simone, o mais importante é deixar claro que nós, mulheres, precisamos ter ESCOLHA. O que, hoje em dia, no mundo quase todo, nos é vetado.

    • luizfernandogarcia

      E o direito de escolha da vida que cresce no ventre materno? Quando dois valores são contrapostos – vida e livre arbítrio – o mais valioso – a vida (alguma dúvida?) – deve prevalecer.

  6. Nós sempre temos escolha, independentemente das leis humanas. No caso do aborto, o bebê não tem o mesmo direito. Sempre há uma razão para o que acontece em nossas vidas, mesmo que não saibamos qual. Apenas em real caso de perigo para a mãe a interrupção da gestação deve ser permitida, como no caso de gravidez ectópica, pois nenhum dos dois sobreviveria até o final. Para quem acredita em Deus, seja qual for a religião ou filosofia de vida, é incoerente aceitar o aborto, pois significa falta de fé e confiança na sabedoria divina. Deus não escreve certo por linhas tortas, nós é que as enxergamos tortas.

  7. Ainda prefiro que a decisão sobre o feto seja da mãe e pai, e não do ESTADO.

    • Luciana Carneiro Aguera

      Mas a decisão é sempre dos pais, a questão é que essa decisão, a partir de hoje, não é mais crime, como era até ontem.

  8. Raquel Rodrigues

    Parabéns Karine pela sua coragem e sei que Deus em sua eterna misericórdia vai te unir novamente com o Miguel, ser mãe é um prazer enorme e só que é sabe…. nem sei o que dizer me emocionei muito com sua história.
    Parabéns Marina, que seu blog venha cada vez mais com informações ricas sobre tudo…..
    Salam aleikum amiga, que Allah te abençõe sempre bjks

  9. Giovanna Sperotto

    Eu particularmente jamais faria um aborto.
    Mas sou totalmente à favor da possibilidade de escolha.
    Não entendo as proporções polêmicas que esse assunto gera… é muito simples, quem não é a favor basta não optar por esse procedimento caso esteja nessa situação.

  10. Hum… é um assunto muito complicado para se lidar.
    Mas, só quem vive isso pode decidir por si mesma (o), não é?
    As opiniões são bem diferentes quando o assunto é aborto em geral, mas segundo pesquisa a metade dos brasileiros são contra o aborto.

  11. eu como mãe de 2 filhos me comovi com sua historia, as vezes pensamos quando estamos gravidas em muitas coisas, e o choque e nossa da noticia faz com que tenhamos reações advversas, so quem tem um filho no ventre sabe o amor que temos por esses seres que para a sociedade so existem na nossa barriga , ainda não são pessoa , mas a mãe , acho que deus da a quem pode suportar a missão de gerar ….

  12. Nossa, Marina que decepcionante este post. Feto é uma coisa e bebê é outra. Ovo é galinha? Não. Voce pode ter essa visao, assim como a moça do relato e simplesmente nao abortar. Leviano é ser contra a escolha! EU nao quero carregar um bebe para ser enterrado em seguida e ja tive uma gravidez que nao foi nada facil.
    Nas clinicas de fertilizaçao in vitro quando o casal deixa de pagar a sua parte, o embrião (que tambem se deixar quietinho vira “vida”) é destruido e isto nao é ilegal.
    Enfim, acho que perdeu uma leitora no seu blog, achava que você era bem mais inteligente,

    • Angel, acho que inteligência é debater e não impor suas ideias… pra mim feto é um bebê, se para vc não é, é só argumentar, não precisa me chamar de burra nem nada mais… Fora que se vc ler, em algum momento eu expressei o que a lei deve ser a favor? Não, eu não dei minha opinião sobre o que o STF está fazendo, e deixei bem claro que não posso julgar ninguém, mas sim falei a favor da vida, que no meu caso, eu continuaria com a gravidez porque acredito que todo bebê, dentro da barriga, é uma vida :) Sobre as clínicas, eu tb acho errado esse tipo de tratamento que destrói embriãos, por isso não faria… se vc faz, a consciência é sua… o post é muito mais para refletir do que nos atacar mutuamente.

  13. Asério que no sec xxi , com todo o conhecimento medico que existe, com tanta tecnologia, a ciência tão avançada, ainda há pessoas que não sabem destinguir feto de bébé? Então vou explicar para ver se os brasileiros ficam minimamento cultos e não fazem figuras tristes em frente ao mundo inteiro! Um feto implica estar fisicamento ligado há gestante, o que quer dizer que para sobreviver tem obrigatóriamente ligado por cordão umbilical, áquela mulher e a mais nenhuma! Um bebe não precisa de estar fisicamente ligado a ninguem, precisa sim de cuidados de alguém, mas não precissam de ser da mão podem ser de qualquer outra pessoa, simplesmente precisa de ser cuidado! Por isso é que um feto não é um ser vivo e um bébé já o é!

    • mas aí é uma discussão muito mais filosífica do que médica, Ana… um bebê sozinho também não se alimenta, não vive e morre… na minha concepção é a mesma coisa que um cordão umbilical, então acho que todas as visões devem ser respeitadas.

      • Exactamente como referi, é logico que precisa de ser cuidado, mas não existe um elo fisico entre a pessoa ou pessoas que o cuidam e o bebe! não precisa de sera gestante que o deu há luz a cuidar dele, pode ser qualquer outra pessoa, e mais uma vez refiro, com um feto isso não se verifica é obrigatoriamente a gestante que está fisicamente ligada ao feto.

      • então, mas se vc pensa assim, não entendi pq disse que ia nos ensinar a ser “minimamento cultos” se a lei a favor aborto de anencéfalos foi justamente aprovada…

    • Muita pretensão achar que a ciência humana é superior à vontade de Deus… Mesmo para quem não acredita em Deus, existe a impressão de que há algo superior que criou o universo. O fato de provar este fato, não destroi esta ideia. Ainda mais alguém, que mal consegue se expressar na língua portuguesa com alguma lógica, querer julgar o que, claramente, desconhece. A vida começa com o nascimento? Então todas as gestantes possuem um boneco dentro da barriga e depois ele cria vida, como o Pinóquio? Incrível como, no século XXI, as pessoas ainda morram de fome, com toda a tecnologia e conhecimento médicos existentes, o que prova o quão limitado é o ser humano. Havendo lei ou não, as pessoas sempre farão o que querem e isto vemos todos os dias na televisão.

  14. A fase onde a vida começa está mais que discutida, a ciência ensina-nos que a vida começa com o nascimento, e alias muito bem fundamentado e provado. O problema são as pessoas que ainda vivem com a mentalidade retrogada de igreja, em que tudo pode ser viva, é uma responsabilidade a acartar, não pode ser tudo prazer etc etc. Quando sabemos bem que erros existem, e falem com mulheres com 35 ou 40 anos e perguntem se nunca tiveram um “susto”, e decerto vão dizer que sim , e somente são contra o aborto porque não tiveram que o fazer. E há que ultrupassar essa modinha de aldeia religiosa, e ter a noção que fetos não estão vivos, não pensam , não sentem , não sofrem, não são bébés!

    • vc é uma completa ignorante, deveria estudar mais sobre “onde a vida começa”, não quero mencionar aqui nada sobre religião por que não quero provocar choques.

      “…e ter a noção que fetos não estão vivos, não pensam , não sentem , não sofrem, não são bébés”

      vc não existem então, diante dessa sua afirmação, vc é um spam…

  15. Tenho participado de algumas palestras com gente renomada. Tem a Dra Alice Ferreira da UNIFESP – Universidade Federal de Sâo Paulo -medicina. Ela é pesquisadora lá. Diz claramente que a vida começa na concepção e mostra porque. Na área de psicologia, que é a minha área, também estudamos como a gestação influencia na vida da criança e do adulto. Falo de ciências, protocolos, pesquisa e estudo…quem será que está se enganando?

  16. :´(
    Mas saiba q a intenção do post foi atingida, pelo menos para comigo… Refleti.

  17. Que linda historia e que mae forte,parabens a mae do Miguel.
    Eu sou a favor do direito de escolha,nenhuma mae vai fazer um aborto,interrupcao de gravidez feliz,nós temos que ter esse direito,a partir do momento que vc é mae vc sabe oque é capaz,se um filho que vai nascer pra morrer horas depois for oque a mae deseja que assim seja,se a mae optar por nao ve-lo se formar para a morte assim que nascer,que assim seja,a lei nao obriga,ela da direitos e eu sou a favor sempre.
    Agora se ficarmos pensando em medicos que fazem diagnosticos errados,milagres,dai nao faz,temos que ter esse direito de escolha,isso é necessario para um pais ser considerado livre.

  18. Olha, eu nunca fui mãe, posso ser amanhã… ou não. Mas eu concordo com a Simone Barbariz! Temos o direito de escolha. Não é defender o aborto indiscriminadamente, em qualquer situação, se existem meios contraceptivos… É uma gravidez de risco!

    Querem proibir até quando a gravidez é de risco de morte para a mãe! Poxa, parece que mulher nasceu somente para parir e se morrer, morreu! Não é assim também!

    Antes de decidir interromper a gravidez, é importante fazer todos os exames para ter certeza!

  19. Sobre a história, realmente é emocionante. Admiro e respeito a decisão do casal. Cada um deve agir como achar melhor, nesses casos.

  20. Rafaela Bastos

    Blá blá blá!

    Primeiramente, o que se entende por vida?
    A vida começa a partir de uma célula. Quase tudo que você come é feito de células, logo, se a vida é tão importante pra você, deixe de comer a dos outros!

    “Tá, e se seu bebê for considerado ‘incompatível com a vida’? Para mim, este é outro termo criado para amenizar a consciência alheia. Seu bebê pode estar deformado, pode não ter nem cérebro. Mas é uma vida, ele está vivo! Ele poderá não falar, não andar… isso é justificativa para ser morto? Só posso dizer, que qualquer comentário sem viver esta questão na pele, é muito leviano.”

    Óvulos estão vivos, então você está cometendo assassinato todo mês? Espermatozoides estão vivos, e são cometidos genocídios no seu ponto de vista?
    Entenda que se PRA VOCÊ, a questão importante não é simplesmente a VIDA e sim a VIDA HUMANA, aí você entende que o que diferencia um ser humano que outros animais que você come é justamente nossa consciência e nossos sentimentos, e é JUSTAMENTE isso que o feto anencéfalo não tem! Não é porque parece uma pessoa que sente como uma pessoa!

    Então, se quem quer que seja queira levar uma gestação como essa até o fim, que leve, mas que não venha tirar nada de quem terá uma criança que futuramente produzirá algo pra dar a uma que simplesmente nunca será chamada de “criança” em todo seu conceito só porque vai ficar triste.
    Não dá pra parar o mundo porque queremos descer.

    Se o casal quis, ótimo, curtam a liberdade de fazer isso.

  21. Ela devia de ser obrigada a laquear as trompas! Por um ser ao mundo para viver dois dias, isso é tortura autentica, não é ser mãe, é querer o sofrimento do filho!

    • concordo!!!! um anencéfalo não é praticamente um ser vivo, pois o que constitui vida é pensar….e anencéfalos sequer tem cérebro

  22. oi karine sabe bem eu o q vc passou entendo a,eu tbem estava passando por isso meu bebe com 19 semanas foi diagnosticado com anencefalia.um menino meu samuel.fui no medico depois do ultra so me disse :incompatível com a vida logo nem me explicou mas ja me encaminhou para uma médica que cuida so de gravidez de alto risco ja estava abalada imagine sem chao.mais samuel me dava forca eu so pensava nele no bem estar do meu anjinho do carinho q enquanto ele estava ali eu podia dar um bebe indefeso q eu como mae tinha q protege lo.passei na tal médica foi pior me disse bem que chance 0 para meu bebe e a alternativa de aborta lo ou seguir com a gestação e doar os órgãos.nossa eu nem queria pensar em aborto mais em deus me ajudar ,deus foi meu alicerce q me deu forca pois nunca iria tirar meu bebe,mais infelizmente perdi ele com quase 22 semanas rompeu a bolsa nao teve jeito.mas ta foi do jeito q deus quis.tive um parto prematuro e ele se foi meu bebe.deus foi e ta sendo comigo uma perda fé um filho e bastante dificil.mais com tanto sacrifício mesmo assim eu iria ate o fim.nao sou favor do aborto sou a vida msm q por alguns instantes.

  23. O bom é se fosse possível perguntar a estas crianças se elas escolheriam morrer logo ou adiar o sofrimento pra dali um pouco mais…

  24. Para mim, todos tem o direito de escolhas,lendo a história de Karina achei impressionante como ela lutou com garra para ter o seu bebê, não são todas as pessoas que passam ou já passaram pelo mesmo caso reagem assim. E mesmo apesar de serem um casal jovem teve essa grandiosa atitude e esse gesto de carinho pelo Miguel.

    Parabéns,você foi uma guerreira!

  25. AMANDA RAMOS DA SILVA

    EU SOU TOTALMENTE CONTRA,POIS QUEM NOS DEU A VIDA FOI JESUS,ENTAO SÓ ELE QUE PODE TIRAR E SE ESSAS CRIANÇAS TIVERAM A OPORTUNIDADE DE TER NASCIDO MESMO Q MORRA ISSO NAO NOS DA O DIREITO DE FAZER EXISTIR LEIS QUE FAÇA COM QUE A MAE PENSE EM TIRAR ESSA CRIANÇA DO SEU VENTRE.DEUS TEM UM PROPOSITO NA VIDA DE TODO SER HUMANO ENTAO CABE A ELE SE A CRIANÇA VIVE OU NAO E NAO A NÓS SER HUMANO,E QUEM FAZ ISSO PODE TER CERTEZA QUE VÂO SOFRER AS CONCEQUENCIAS LÁ NA FRENTE PQ A VINDA DE JESUS ESTÁ SE APROXIMANDO…..

Deixe um comentário e vamos interagir!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 440 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: